Síndrome de Down e Comportamento Adaptativo. Por Dra. Sonia Casarin

02/12/2017 21:27
noticia Síndrome de Down e Comportamento Adaptativo. Por Dra. Sonia Casarin
noticia Síndrome de Down e Comportamento Adaptativo. Por Dra. Sonia Casarin

Entende-se por comportamento adaptativo um conjunto de habilidades que possibilita que as pessoas se adaptem às atividades de seu cotidiano no ambiente doméstico, escolar, profissional ou social.

Essas habilidades são adquiridas ao longo da vida e quando a deficiência intelectual está presente há necessidade de estimulação sistemática para desenvolvê-las.

As habilidades adaptativas dizem respeito às expectativas de comportamento em determinado ambiente. As escalas de comportamento adaptativo, como a Escala de Comportamento Adaptativo (ECA) e Escala de Comportamento Adaptativo de Vineland, ajudam a verificar a funcionalidade da pessoa, identificando habilidades já desenvolvidas, aquelas que estão em desenvolvimento ou outras que ainda não apareceram.

Assim, com a ajuda dessas escalas é possível identificar as habilidades que devem ser desenvolvidas nas diversas fases da vida para atender as demandas de determinados contextos. Destacam-se:

  • vida prática: envolve aspectos como alimentação, locomoção, higiene, vestuário, preparação de refeições, uso do telefone atividades ocupacionais (trabalho e emprego)
  • habilidades sociais: envolve habilidades ligadas ao relacionamento interpessoal, responsabilidade, autoestima, compreensão de regras e respeito às leis.
  • habilidades conceituais: ligadas à comunicação e linguagem, leitura e escrita e compreensão do uso do dinheiro.

A seguir apresentamos trecho da ECA, no quesito Atividades Domésticas referentes à limpeza e cozinha, mostrando como a habilidade deve se desenvolver. Nota-se que pode ser constatada desde a ausência da habilidade, que é registrada como “não” na tabela. As atividades realizadas pela pessoa devem contribuir para seu aprimoramento e ao longo desse processo a habilidade pode aparecer “às vezes”, até que a independência na ação seja conquistada, situação que é registrada como “sim” na Escala.

 

Verifica-se o desempenho da pessoa em atividades que envolvem esses quesitos para propor intervenções, atividades e exercícios que possam consolidar as habilidades já adquiridas e desenvolver aquelas que ainda  não apareceram. 

Dra. Sonia Casarin

*SONIA CASARIN – Psicóloga, doutora em Psicologia pela PUC-SP; pós-doutora em Psicologia Educacional do Centro Universitário UNIFIEO (2015), coordenadora do Instituto de Estudos Psicológicos, responsável pelo S.O.S.Down. Durante 15 anos foi coordenadora técnica do Projeto Down-Centro de Informação e Pesquisa da Síndrome de Down; foi professora de cursos de Pós-graduação em Educação Inclusiva no Instituto Superior de Educação Vera Cruz. Participou do Programa Scholas Ocorrentes em Buenos Aires; Mediadora do PEI – Programa de Enriquecimento Instrumental e autora do livro “Talento e deficiência – como incluir alunos com diferentes tipos de inteligência”, publicado pela Editora Ática.

Contatos: Telefone: (11) 97078-9813 / E-mail: scasarin@uol.com.br