Código de Trânsito Brasileiro completa 20 anos! Temos o que comemorar?

Por Salete Romero* e Paulo S. Silva*
17/01/2018 22:59
noticia Código de Trânsito Brasileiro completa 20 anos! Temos o que comemorar?
noticia Código de Trânsito Brasileiro completa 20 anos! Temos o que comemorar?

O Código de Trânsito Brasileiro que foi promulgado em 18/01/1998 está completando 20 anos! O temos o que comemorar?

Os pedestres, ciclistas, motociclistas e inclusive os próprios motoristas não conhecem os 20 pontos cegos de um carro de passeio; mais de 42 mil pessoas morreram em acidentes de trânsito no Brasil em 2015.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 28% dessas mortes foram de motociclistas, 20% de pedestres e 3% de ciclistas, e o famoso ponto cego da direção é um dos principais culpado pelos acidentes envolvendo essas vítimas.

O número de pontos cegos varia de acordo com cada carro, mas em geral, esse número fica em torno de 20! Conheça os principais:

Fotos: Divulgação Internet

– As mais conhecidas são 8 posições, 4 em cada lado, localizadas em cada uma das colunas laterais. – Quatro pontos sempre presentes, são os encostos de cabeça internos do carro. – Os outros são mais difíceis de reparar, mas estão presentes em toda a lateral do carro, na altura das portas, que pode cobrir crianças ou pessoas abaixadas. – Até mesmo os próprios retrovisores podem cobrir a visão de pedestres.

 

O ciclista é importante para ele trafegar no mesmo sentido que os outros veículos; De acordo com a determinação do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O artigo 58, do trecho de Normas Gerais de Conduta, orienta: “Nas vias urbanas e nas rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento, ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores”.

Essa norma, no entanto, é mais oral do que factual, estabelecida a título de orientação e não é punível. “O padrão é que o pedestre ande na direção contrária ao fluxo de veículos e o ciclista pedale no mesmo sentido.

Os motoristas cometem os mesmos erros que criticam no pedestre. Mesmo sem semáforo, se há faixa de pedestre as pessoas têm prioridade sobre o trânsito motorizado. De uma faixa de pedestre pode originar três tipos de infrações. Duas delas são consideradas gravíssimas, porém são cometidas rotineiramente.

A mais comum é parar sobre faixa. Geralmente é sinônimo de trânsito pesado, quando não dá tempo de o carro cruzar a via antes de o sinal fechar. Mesmo assim, não se justifica e a consequência é multa grave e cinco pontos na CNH. Outra é não dar preferência ao pedestre. Há inúmeras faixas espalhadas pela cidade sem que haja um semáforo.

O correto é parar o veículo, com segurança, e esperar que a pessoa atravesse. Não fazer isso é considerado gravíssimo pela legislação e acarreta multa e perda de sete pontos.

Se o motorista resolve acelerar, mesmo com o carro parado, enquanto o pedestre anda sobre a faixa (é recorrente quando o sinal abre no meia da travessia), e seja visto por um agente ou policial, existe o risco de retenção da CNH e do veículo, suspensão do direito de dirigir e recolhimento do documento de habilitação. Parar sobre a faixa Infração: GRAVE. Pontos na CNH: 5. Não dar preferência ao pedestre Infração: GRAVÍSSIMA. Pontos na CNH: 7. Ameaçar um pedestre Infração: GRAVÍSSIMA. Pontos na CNH: 7. Risco de retenção da CNH e do veículo, suspensão do direito de dirigir e recolhimento do documento.

Os motociclistas e os pedestres – Maiores vítimas no trânsito - não conhecem a Regra Fundamental de Segurança no Trânsito; Os pedestres não sabem que, o motorista ao engatar a marcha ré, acende uma luz que sinaliza, além de uma sirene nos caminhões, justamente para alertá-los sobre essa manobra; Motoristas de transporte de cargas não sabem que “Só Perde os Freios, o Condutor que Não Sabe Frear”!

81% dos acidentes graves ocorrem em pistas em ótimo estado de conservação e quando a empresa troca a frota de veículos por veículos novos, o número de acidentes aumenta; Esses são alguns exemplos que mostram a falta de preparo de todos no trânsito nosso de cada dia, resultando em 150 mortes e centenas de vítimas com sequelas permanentes, por dia em nosso país.

Salete Romero* - Palestrante, Especialista em Psicologia do Trânsito; Especialista em Segurança no Trânsito; Colunista na BAND FM e Colunista na Revista Prevenção. Contato: (15) 3326.0616

 

Paulo Sérgio (Paulo Silva) Silva*
Jornalista, Locutor apresentador Contato:  (11) 94564-4237

Especializações:

- Reportagens para rádio, TV e internet; Comercial, Jornalistica,
- Apresentação de eventos (Mestre de Cerimônias);
- Apresentação Radio e TV
- Edição de texto;
- Locução. Voz Padrão - Edição Áudio 
- Produtor - Redator
- Estúdio Online

Além de ampla experiência comercial captação e administração.