O cinegrafista da Rede Vida de Televisão, Bruno Ribeiro vive momento marcante ao registrar imagens no braço e cabeça do Cristo Redentor na cidade maravilhosa. Confira matéria abaixo:

Artigo publicado por Thiago Winner, escritor do livro "As regras simples da vida" e colunista do site "Portal Olhar Dinâmico de São Paulo capital".
15/01/2018 12:37
noticia O cinegrafista da Rede Vida de Televisão, Bruno Ribeiro vive momento marcante ao registrar imagens no braço e cabeça do Cristo Redentor na cidade maravilhosa. Confira matéria abaixo:
noticia O cinegrafista da Rede Vida de Televisão, Bruno Ribeiro vive momento marcante ao registrar imagens no braço e cabeça do Cristo Redentor na cidade maravilhosa. Confira matéria abaixo:

    Narração em 1ª pessoa:

   Meu nome é Bruno Ribeiro, tenho 37 anos e a 16 anos sou cinegrafista de uma Emissora Católica (Rede Vida de Televisão). Assim, fui chamado para participar de uma gravação no Cristo, coisa habitual para mim que subo umas 15 vezes por ano o morro do Corcovado para cobrir pautas no Santuário do Cristo Redentor. Sendo que nessa oportunidade fui surpreendido com uma pauta que não acontecia sempre, fomos convidados para conhecermos o interior da Estátua e assim mostrar o quanto é difícil manter em forma aquele monumento a mais de 700 metros acima do nível do Mar. Raios, chuvas, trovões e ventos... Danificam as pedras sabão constantemente.

   Foi dada a largada para uma grande restauração e lá foi à equipe da TV mostrar tudo que havia de ser feito para termos o Cristo com nova reforma.     A imagem tem 35 metros e a primeira parte tem que subir em uma espécie de elevador de manutenção elétrica. Depois temos a primeira parte com lances de escadas, razoavelmente largas. São 6 lances até chegarmos no Coração do Cristo, chegando lá foi aquela emoção... Não resisti e registrei esse momento único em minha vida. A partir dali, tivemos que encarar escadas muito apertadas. Em certo ponto da subida a coisa fica muito angustiante, pois o espaço é muito estreito e eu sofro de claustrofobia.

   Imagine uma pessoa que morre de medo de ficar preso em elevador, ter que passar por aquele espaço fazendo zigue-zague? Foi à providência dívida que me fez respirar fundo, fechar os olhos e encarar aquela passagem. Ufa! Consegui com muita coragem e determinação, nada me fazia desistir de realizar esse sonho. Chegamos ao braço direito, o mesmo que o Renato Aragão subiu ao vivo pela Rede Globo.

   Gravei uma passagem com a repórter, não pensei duas vezes e registrei com o meu celular esse momento épico na minha profissão. Para mim a aventura já estava de bom tamanho, já pensava na descida. Quando de repente eu olho pra cima e a tampa da cabeça estava aberta. Parei, pensei, analisei a situação e vi que eu tinha passado pelo primeiro obstáculo, porque não tentar passar por mais um? Respirei fundo e fui, subia evitando olhar pra baixo a todo custo. Enfim, cheguei à cabeça do Cristo... Foi à sensação mais indescritível que já senti na vida. Foi algo que não tem como mensurar. Apenas o que posso dizer que senti uma sensação tão gostosa de liberdade e de alegria... Sentia uma energia tão positiva vindo das nuvens que passavam pela gente, e novamente a repórter queria continuar as gravações.

    Mostrei todos problemas causados pelos raios e as chuvas. Eram pequenas fissuras que traziam vazamentos e assim danificavam o interior da imagem. A coroa é feita de um material específico para ser o para raio e nela tem um cabo de aço que desce pela estátua e vai até o solo, fazendo assim que a eletricidade que constantemente atinge a imagem, não deixe que nenhum turista seja atingido acidentalmente.

   Novamente gravei outro vídeo na cabeça do Cristo Redentor. Dessa vez contemplei a belíssima paisagem que podemos ver daquela altura. Tive a visão ampla da zona sul, norte e centro da cidade. Imagens lindas e muito significativas para a minha vida. Com certeza, foi a principal matéria por mim já feita, em mais de uma década de trabalho na Rede Vida.