CONCORRA A UM PAR DE INGRESSOS - PEÇA: O PEQUENO PRÍNCIPE - DIA 18 DE NOVEMBRO - ÚNICA APRESENTAÇÃO

21/10/2017 11:33
noticia CONCORRA A UM PAR DE INGRESSOS - PEÇA: O PEQUENO PRÍNCIPE - DIA 18 DE NOVEMBRO - ÚNICA APRESENTAÇÃO
noticia CONCORRA A UM PAR DE INGRESSOS - PEÇA: O PEQUENO PRÍNCIPE - DIA 18 DE NOVEMBRO - ÚNICA APRESENTAÇÃO

Deixe seu comentário na matéria e concorra a um par de ingressos para o espetáculo.

 

PEÇA: O PEQUENO PRÍNCIPE

SINOPSE

Um espetáculo que transmite a essência da amizade, respeito e amor ao próximo. A história se passa no deserto do Saara onde um piloto de avião sofre uma pane no motor e é obrigado a fazer um pouso de emergência e precisa ficar por lá alguns dias até consertar seu avião.

Logo, conhece o Pequeno Príncipe, um garotinho que vem de um planeta bem pequeno e distante do nosso. Aos poucos, o Principezinho vai contando suas recordações sobre sua rosa e dos planetas que visitou procurando novos amigos.

Ele conhece vários personagens inusitados, e através de cada um, o Principezinho passa de forma simples, verdadeiros valores e lições perdidas há tempo pelo piloto.

Isso tudo pode ser traduzido por uma frase da raposa, personagem que ensina ao garoto o segredo do amor. “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos”. Com esta história mágica e sensível, não há adulto que não se comova, e criança que não se encante com esta fábula.

Ficha Técnica:

Obra: Antoine de Saint Exupéry

Adaptação: Andréia Bertanha

Direção: Jefferson Brito

Trilha sonora: Eric Brandão e Val Azevedo

Figurinos: Ginna Krem

Coreografia: Studio de Dança Clayds Swing.

Coreografia de Artes Marciais: Andrew R. R. Marques.

Mapa de Luz: Paulo Oliveira

Operador de Luz e som: Diego Santana

Produção Executiva: Andréia Bertanha

Fotografia: Débora Carvalho

Elenco: Alexandre Zanchetta AX-Nunes, Enzo Bulcão, Jairo Cosmo, Jefferson Brito, Jessica Miranda, Lucas Barbosa e Paulo Arquery.

Classificação: Livre

Realização: Cia de Teatro Letra Jovem

 

OBJETIVO:

"O Pequeno Príncipe" Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Um livro aparentemente infantil, que desperta leitores de todas as idades.  

Escrito pelo francês Antoine de Saint Exupéry, a obra nos trás sempre uma lição de vida, uma visão de um olhar que ficou perdido na infância.

Pois somente uma criança  não se deixa limitar por traços e formas, pois ela é capaz de enxergar além disso, ela é capaz de criar um mundo com apenas uma folha de papel ou um lençol, ensinando para os adultos valores humanos,  fazendo com que voltem os sonhos, os questionamentos, a vontade de fazer diferente, observar e compreender melhor o mundo e o nosso próximo.