UM BOM GESTOR TEM QUE PENSAR ALÉM DAS ENTRE LINHAS DO SEU MUNICÍPIO. O HOSPITAL DE EUGENÓPOLIS EM MINAS GERAIS É MAIS QUE UMA CONQUISTA DA POPULAÇÃO. NÃO PODE FECHAR.

30/07/2017 21:56
noticia UM BOM GESTOR TEM QUE PENSAR ALÉM DAS ENTRE LINHAS DO SEU MUNICÍPIO. O HOSPITAL DE EUGENÓPOLIS EM MINAS GERAIS É MAIS QUE UMA CONQUISTA DA POPULAÇÃO. NÃO PODE FECHAR.
noticia UM BOM GESTOR TEM QUE PENSAR ALÉM DAS ENTRE LINHAS DO SEU MUNICÍPIO. O HOSPITAL DE EUGENÓPOLIS EM MINAS GERAIS É MAIS QUE UMA CONQUISTA DA POPULAÇÃO. NÃO PODE FECHAR.

Por Anderson Cypriano

Em tempos de crise política e econômica, tudo se torna mais difícil, seja para pagar a escola do filho, das compras no fim do mês, do combustível do carro, transporte, da conta de água, luz e gás, medicamentos, consultas, etc.  

Isso tudo pesa no fim do mês no bolso de cada família não é? E mesmo assim, tem que torcer para não ser dispensado pelo empregador a qualquer momento. Diante disso, você tem que fazer contenção de despesa. Em alguns setores, isso é possível, mas quando se trata em reduzir gastos na saúde, é impossível, visto que saúde não tem como adiar ou intermediar. É algo urgente, cortar gastos neste setor é não oferecer atendimento adequado ao paciente.  

Um município bem estruturado, desenvolvido, ele tem que começar pela saúde, educação, etc. Saúde tem que ser prioridade. Hoje não fazemos políticas públicas sem parcerias, estas são necessárias para desenvolvimento e melhorias de assistências. A continuação de um mínimo de serviço para que a população não pereça por falta de um atendimento satisfatório e ágil, deveria ser a pauta constantes dos nossos representantes. 

Não tenho formação em administração pública e nem sou contador, mas não é preciso ser doutor para ver que um convênio próximo ao um município de 14 km sai mais barato do que do que ter que deslocar os pacientes para o Hospital São Paulo em Muriaé para um atendimento de média e baixa complexidade acerca de 50 km de distância.

Sem contar que tem que pagar a diária do motorista dependendo do tempo de espera, desgastes de pneus, motor, gasolina é cara, enfim, sendo que estes procedimentos poderiam ser resolvidos no Hospital São José (Associação de Proteção à Maternidade e a Infância). Só pensar mais um pouco, graças ao nosso criador ele deu este talento pra todos, PENSAR. 

Para quem não sabe, manter um Hospital de pequeno porte, é preciso de muito investimento, sem contar que todo município tem a obrigação de ter seu Pronto Atendimento.

Mas devido as despesas altas que giram em torno de 100 mil reis, muitos municípios para não investir manda seus pacientes para outros hospitais, afim de solucionar o seu problema, mas esquece que acaba abarrotando e aumentado a demanda do Hospital ou do pronto socorro alheio.

Mais gastos, recursos financeiros reduzidos, contribui para um atendimento precário e aumento de horas a mais aos profissionais que muitas vezes nem recebem por essa hora extra. 

Meses atrás numa entrevista feita pela Rádio FM de Muriaé, transmitido ao vivo pelo facebook, o Prefeito Grego discutia essa questão dos atendimentos no Hospital São Paulo, no qual estes pacientes não eram de urgência, podendo ser atendidos no pronto atendimento de outras cidades, fazendo convênios. Isso gerou e gera um gasto absurdo no fim do mês na hora de fazer o fechamento da prestação de conta. 

O Problema tem que ser discutidos entre os chefes do executivos das cidades que dependem deste atendimento, juntamente com os secretários de saúde para que possam discutir o problema.   

Abaixo os valores que o Hospital tem de gasto mensal. 

Imagens: Facebook da APAMIE 

Sr. Paulo Magliano como Secretário de Saúde por muitos anos na área, atuando na Regional de Ubá-MG e, como um dos fundadores do Sistema Único de Saúde (SUS), visando em diminuir a procura dos atendimentos de média e baixa complexidade do Hospital São Paulo de Muriaé, como já foi Secretario de Saúde de Antônio Prado de Minas, como o senhor vê a parceria de convênio entre Antônio Prado de Minas e o Hospital de Eugenópolis? 

Sr. Paulo M.: Todo Município e obrigatório ter um Pronto Atendimento. Só que para isso e necessário plantão médico, enfermeiros, técnicos 24 horas. Fora o pessoal de apoio como nutricionista, e funcionários de cozinha, faxineiro, recepção, motoristas, ambulâncias, etc. Precisa de uma listagem grande de medicamentos e material médico hospitalar, fora os encargos sociais. Gasto fixo que gira em torno de mais de R$ 100 mil reais. 

Então, você tendo um convênio com outro município reduz drasticamente esta despesa. Sem contar que o Ministério Público e o Ministério da Saúde aceitam este processo de parceria. Por isso que sempre mantínhamos na gestão esta parceria com o Hospital de Eugenópolis.  

Portanto, na gestão anterior tinha convênio. Uma cidade com mil e seiscentos habitantes, que recebe uma Receita de mais de um milhão de reais, não vai causar um rombo no caixa da prefeitura se continuar a pagar o convênio, até porque é um serviço de suma importância para a população.

É preciso pensarmos a logo e curto prazo. Não e fácil conseguir um alvará de funcionamento, agora fechar um hospital por falta de verba é lamentável.

Um prefeito deve pensar além das entre linhas do seu município, tem que pensar grande. Grandes projetos surgem com parcerias.

Não podemos deixar nosso Hospital fechar novamente. Mauricio Milani vem trabalhando a frente do Hospital, juntamente com o prefeito Vasco Caldas para que a população eugenopolense tenha um atendimento digno, sendo que Patrocínio e Antônio Prado sempre tem pacientes sendo atendidos por lá. É mais que justo que contribuam com as despesas.  

 Que a população possa tomar consciência deste assunto, e cobra mais. Eugenopolis está fazendo sua parte, Patrocínio de Muriaé e Antônio Prado Minas vamos agilizar isso. 

Pode gastar com festa, esporte lazer, entre outras coisas, a saúde é em primeiro lugar, vamos atentar pra isso. Temos que preservar o que temos, e não acabar com o que já temos.