Feminização do rosto associada a transplante capilar

27/07/2017 08:33
noticia Feminização do rosto associada a transplante capilar
noticia Feminização do rosto associada a transplante capilar

Por Leda Nascimento

A reconstrução da região frontonaso-orbital (testa) é um dos procedimentos mais descritos na cirurgia de feminização facial. Ela determina a expressão e é de vital importância para se determinar visualmente o gênero facial. 
Depois da fronte, a linha capilar é a segunda característica mais importante para a identificação de gênero no terço superior da face. Segundo o cirurgião plástico Paulo Miranda, a avaliação combinada dessas duas características deveria ser a premissa básica na cirurgia de feminização facial.
A região frontonaso-orbital é sem dúvida uma das mais importantes para se identificar o gênero (masculino-feminino) de uma pessoa. Também com grande importância vem o formato da linha frontal, também conhecido como o 'hairline'. 
O formato em 'M', com as entradas tende a ser identificado como masculino e um formato mais arredondado geralmente é classificado como feminino. 
A linha capilar pode seguir diferentes formatos. Nos pacientes transgêneros são mais comumente encontrados: formato em 'M', arredondado sem entradas, e indefinido pela calvície avançada.

Reconstrução com Frontoplastia e Transplante Capilar Simultâneo

Nesta técnica, a faixa de couro cabeludo é obtida no começo da cirurgia, pois é o acesso da cirurgia crânio-facial. Assim, é realizado a dissecção das unidades foliculares pelo time capilar enquanto é realizada a cirurgia de feminização. A técnica de obtenção das unidades foliculares é mista FUE e FUT, para se conseguir um grande número de unidades. 
A paciente é extubada e prossegue-se com a restauração capilar com somente a sedação residual da anestesia local. Neste momento, recomenda-se para que movimente as pernas para seguir com o protocolo normal de movimentá-las de hora em hora para prevenção de TVP. 
Durante todo o procedimento a paciente usa meias elásticas e coloca-se o dispositivo de compressão de membros inferiores intermitente (meias próprias). Em todos os casos o tempo entre a retirada da faixa e o começo do transplante não ultrapassa 5 horas. A colocação dos cabelos dura em media 2h30.