É possível ser gay e cristão?

Dono do canal ‘De Volta ao Reino’, Artur Vieira mostra como é fazer parte de uma nova geração de homossexuais e de cristãos
03/07/2017 21:32
noticia É possível ser gay e cristão?
noticia É possível ser gay e cristão?

Homossexual, mas cristão. Apoiador do sexo apenas após o casamento, porém crítico de pastores que pregam contra gays nas redes sociais e utilizam o tema como plataforma de trabalho, como Silas Malafaia e Marco Feliciano. As descrições parecem pertencer a  diferentes pessoas, no entanto, definem um único jovem: Artur Vieira, um youtuber e entusiasta de teologia que tem chamado atenção nas redes sociais.  

 

Artur é ator por formação, comunicólogo e, há mais de uma década, quando se converteu e passou a frequentar a igreja, decidiu estudar sobre a teologia inclusiva. Esta por sua vez, ressalva que na igreja há, sim, espaço para mulheres, negros e homossexuais.  

Existente desde 1950, na Europa, e 1970, nos Estados Unidos; há 15 anos a teologia da inclusão não havia chegado ao Brasil, o que obrigou o ator a estudar com livros estrangeiros para se inteirar. Desde esse período, ele trata o assunto como prioridade e, seguindo sua veia da comunicação, nunca deixou de ler e aprender sobre. 

Em 2014, Artur lançou, no Youtube, com um grupo de amigos, o canal De Volta Ao Reino, que nasceu como um ministério de comunicação, mas, hoje em dia, conseguiu ultrapassar as quatro paredes de uma igreja. Atualmente os vídeos são comandados apenas por Artur, e começaram a receber apoio de outros jovens que se identificam com sua personalidade.  

Um dos vídeos mais famosos de canal é intitulado ‘Por que Não consigo deixar de ser gay?’, nele, Artur conta sua experiência no início da vida cristã, quando, seguindo conselhos de pastores tradicionais, chegou a fazer “libertações”, como jejuns, por exemplo, para deixar de ser homossexual, no entanto, nada adiantava. “Sabe por que o demônio da homossexualidade não saiu da minha vida? Porque a homossexualidade não se trata de um demônio ou uma cura que precisa ser tratada”, ele afirma, durante a gravação. 

O vídeo foi compartilhado em páginas de igrejas, de apoiadores do movimento LGBT e tantas outras e, claro, além dos comentário positivos, ele recebeu diversas críticas, de inúmeras pessoas. “Postaram o vídeo em uma página bem famosa de cristãos, alguns dias atrás, e cheguei a receber mensagens que desejavam a minha morte e bradavam que eu iria queimar no fogo do inferno”, contou. 

Segundo Artur, as críticas nunca o afetaram e só lhe deram força para seguir publicando os vídeos, sobre diferentes assuntos, por mais polêmicos que pareçam. “Eu fico triste com como as pessoas falam que estão em Deus, mas desejam o mal as outras. No restante do tempo, essas críticas não afetam meu trabalho, pois eu estudei muito sobre o assunto para comentar e, principalmente, dou depoimentos de situações que já passei. Por isso o De Volta Ao Reino é tão verdadeiro”, afirmou.

O youtuber é considerado por muitos amigos e por quem acompanha os vídeos dele, como a “nova cara do gay” e a “nova cara do cristão”, pois, no primeiro caso, mostra que a conduta “promíscua” que muitas pessoas ainda afirmam ser da personalidade de homossexuais, não condiz com a realidade. Já no segundo exemplo, ele faz com que as pessoas percebam que nem todo cristão é homofóbico. 

“Minha felicidade é ler os comentários nos vídeos dizendo o quanto eu consegui ajudar alguém a se aceitar ou a entender melhor a sociedade, os gays e, principalmente, a bíblia e os cristãos”.

 

Conheça o trabalho de Artur: 

Canal De Volta ao Reino • Facebook  • Instagram